Planta de Manganês deve gerar 400 empregos em Marabá

Planta de Manganês deve gerar 400 empregos em Marabá
18 de setembro 2017.

Mineração Buritirama quer dobrar capacidade atual e sinterizar Manganês na Vila União

Produção de sinterização na Mina da Buritirama em Marabá receberá novos investimentos e vai gerar 400 novos empregos
O município de Marabá deve ganhar, em breve, uma planta de sinterização do manganês. A Mineração Buritirama, empresa com sede em São Paulo e que possui uma mina na localidade da Vila União, em Marabá, planeja implantar esse projeto ao lado da atual mina.
O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, e a diretora de Mineração e Transformação Mineral da Sedeme, Marily Germano, receberam na última semana o diretor da Mineração Buritirama, Endrigo Perteffi, que anunciou o interesse da empresa e postulou apoio do Estado para viabilizar o empreendimento.
De acordo com o titular da Sedeme, o Governo do Estado tem interesse em apoiar os empreendimentos que busquem a verticalização e a criação de empregos no Pará. “O Estado vai, sim, apoiar a empresa, em especial a qualificação de mão de obra da região, através do Pará Profissional, da Sectet (Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica) para que a mão de obra local seja contratada. Vamos trabalhar também na orientação e apoio da empresa para a obtenção das licenças ambientais”, afirmou Adnan Demachki.
O projeto prevê a criação de 400 empregos diretos, fora os empregos indiretos na prestação de serviços. A expectativa é que a implantação dure 16 meses. A Buritirama comercializa seus produtos nos mercados nacional e internacional, que tem em seu processo de beneficiamento mineral a utilização apenas de água como agente para a concentração dos minérios de manganês.
A Buritirama produz anualmente 150 mil toneladas de manganês em Marabá e prevê a duplicação da produção, para 300 mil toneladas por ano. A sinterização é um processo no qual o minério compactado é submetido a temperaturas elevadas, criando uma alteração na estrutura microscópica do elemento base. Sua finalidade é obter uma peça sólida coerente.
A mina está localizada na Serra de Buritirama, a 144 km da cidade de Marabá. O acesso, por via rodoviária, é feito pela estrada do Rio Preto, a partir do entroncamento no km-09 da Rodovia Transamazônica. São 135 km de estrada de terra, em boas condições de tráfego.
A mina conta ainda com pista de pouso de 950 metros para pequenas aeronaves. Um grande pátio de estocagem de minério com capacidade para 200.000 toneladas, localizado em Marabá, garante o abastecimento tanto para o mercado interno quanto para o mercado externo. As exportações são realizadas a partir do porto de Vila do Conde, próximo a Barcarena, que fica a cerca de 487 Km de Marabá.
A Reportagem do Correio tentou entrar em contato com a gerência da Buritirama em Marabá pelo telefone que aparece no site para saber quando devem começar as obras, mas o telefone chamava até cair na caixa de mensagens. (Com informações da Agência Pará)

(Fonte: correiodecarajas.com.br, acesso em 18/09/17)


Postado em 21/11/17 às 15:37

« Voltar